Linux:: comando df para obter informações sobre sistema de arquivos

Tux

Nível: iniciante

 

Este artigo apresenta:

  • a utilização do comando df para obtenção de informações de espaço em uso e livre em um sistema de arquivos.

 

O comando df (“disk free”), como apresentado acima, nos mostra a quantidade de espaço em uso e a quantidade de espaço livre em um sistema de arquivo. Por padrão, na saída do comando, você têm uma visão em blocos com tamanho de 1024 bytes. Observe que a partição root sempre será apresentada como ponto de montagem “/”.

Mas quando utilizar o comando df? Quando você precisa obter um resumo do armazenamento de disco, quando você precisa acompanhar o aumento de dados em determinada partição do sistema, etc.

Sintaxe: df -[parâmetros de opções]

Para verificar apenas o espaço de disco em uso, você não precisa acrescentar nenhum parâmetro. Você terá como resultado: nome do dispositivo, total de blocos, total de espaço em disco que está em uso e o total de espaço livre em disco. Além disso são apresentados na última coluna, os pontos de montagem dos sistemas de arquivos, que se refere a diretórios onde cada sistema de arquivos é montado dentro da árvore de arquivos do sistema.

Comando df no ubuntu
Comando df no ubuntu

As opções que permitem a você ter uma leitura clara dos resultados lhe dando um melhor entendimento, são:

-h – mostra o espaço livre ou ocupado de uma forma “humana” (MB, KB, GB em vez de bloco). Esta opção ajuda muito pois normalmente estamos acostumados a utilizar medições no formato de megabytes ou gigabytes.

Comando df com parâmetro h
Comando df com parâmetro h

Mas, se o sistema estivar configurado para trabalhar com blocos de 512 bytes, você pode querer forçar este resultado em blocos de quilobytes, ou seja 1024 bytes. Os blocos serão apresentados com tamanho de 1K, então utilize o sequinte parâmetro:

  • -k – apresentará os resultados no formato de Kbytes.

Ou talvez se precisar que os blocos sejam apresentamos em megabytes, ou blocos de 1 mega, poderá utilizar:

  • -m – apresentará os resultados no formato de Mbytes.

Algo útil pode ser a obtenção do tipo de sistema de arquivos para uma partição:

  • -T – acrescenta uma coluna no resultado informado o tipo de sistema de arquivos de cada partição.

Se você deseja obter informações de todos os sistemas de arquivos:

  • -a – apresenta uma listagem com sistema de arquivos com 0 blocos
  • -l – somente lista sistema de arquivos locais

Você ainda pode listar as informações como inodes ao invés de usar blocos, utilizando o parâmetro -i.

O inode (index node) é uma estrutura de informações de arquivo no sistema de arquivos que armazena informações referentes aos dados armazenados no sistema de arquivos, ou seja, um banco de dados dos arquivos que faz o mapeamento de informações tais como permissões ACL(Quem é o proprietário, grupo do proprietário, outros), endereçamento, tamanho, tipo, etc. Cada arquivo e cada diretório possui um e, “apenas um”, inode exclusivo com tamanho de 128 bytes. Isso quer dizer que se você cria um link para um arquivo utilizando ln, o inode será compartilhado, sendo o mesmo para link e arquivo, embora em caso de hardlinks você tenha a visão de inode duplicado. Desta forma os sistemas UNIX, Linux, conseguem localizar rapidamente um arquivo utilizando o número de inode do arquivo e mais o número do dispositivo. Então, concluímos toda a estrutura de inodes, apresenta para o kernel o total de arquivos e diretórios existentes no sistema.

Você consegue obter o inode de um arquivo ou diretório utilizando o comando ls -i “nomeDoArquivo”, onde nomeDoArquivo, sem aspas, pode se referir a qualquer arquivo ou diretório no sistema de arquivos. Já para obter os detalhes sobre o inode do arquivo, utilize o comando stat “nomeDoArquivo”, onde nomeDoArquivo, sem aspas, pode se referir a qualquer arquivo no sistema.

Comando ls com parâmetro -i de inode
Comando ls com parâmetro -i de inode

Para verificar o inode de vários diretórios, você pode utilizar o utilitário tree. Este utilitário pode não estar disponível em algumas distribuições. No Ubuntu e Debian, você poderá efetuar a instalação utilizando o comando “sudo apt-get install tree”.

Em seguida utilize o comando sudo tree -a -L 1 –inodes no diretório desejado. Será mostrado os inodes tanto para arquivos quanto diretórios.

Comando tree apresentando inodes
Comando tree apresentando inodes

Acredito que estas informações serão bem úteis no momento em que você estiver administrando um sistema Linux.

[]’s

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.